Whisky no gelo ou gelo no whisky?

De repente, isso se torna uma questão assombrosa, ou pelo menos uma questão que me assombra... Qual seria o correto? Colocar gelo no whisky ou derramar o whisky sobre o gelo?

Não vou consultar nenhuma fonte internética para saber a resposta. Deixa eu lembrar aqui dos versos de Aldir Blanc e da música do João Bosco e pensar no "copo cheio de Vinícius"... Tá certo que, hoje em dia, Viena não fica nem um pouco perto da 28 de Setembro, mas eu acho que lá (na 28 de Setembro, claro!) o whisky vinha depois.

Não porque exista uma picaretagem implícita nos donos de bar que os obrigue a encher o copo de gelo e depois completar com alguns pingos de whisky - embora isso exista, ainda mais se for num "bar da moda". Mas antes porque, mesmo não sendo nem um pouco católico, eu acredite em rituais.

Afinal, o gelo sobre o whisky é uma espécie de profanação. Oblitera-se o calor. Lança-se sobre o líquido sagrado, premente de uma certa orgia alcoólica, uma puta dose de água fria. Transforma-se o dourado em aguado, coisa que muitas loiras evitam à todo custo, ao verem os anos se aproximar. Jogar gelo no whisky é como o anedotal "banho de água fria", precursor imediato do Boston Medical Group, que nos faz acreditar que 30% dos homens têm ejaculação precoce e que quem tem a minha idade tem problemas de ereção.

Agora... jogar whisky no gelo é outra coisa... É, literalmente, quebrar o gelo. Demonstrar cientificamente que algo envelhecido durante anos tem o poder de se combinar com as coisas mais frias, distantes e reticentes... E recém-saídas da matriz, também. O gelo foi formatado precocemente. O whisky, ao penetrar nas suas mínimas frestas, lhe dá novas formas. Ou melhor!... Lhe reformata.

Vou jogar mais uma dose sobre umas duas ou três pedras e parar por aqui. Afinal, a experiência me ensina uma coisa sutil: ao final, são as vis pedras de gelo, e não o whisky, que restam no fundo do copo. Elas são as últimas coisas que sobram, e que mantém a sua incômoda presença sólida, enquanto ele se tornou apenas cheiro. Querem e serão sempre lembradas, coisa que é importante para a nossa sociedade. Mas isso é problema delas... No fim, se não fosse pelo whisky derramado, elas seriam apenas um copo dágua.


Postado em 10/02/2009 às 22:12      1 comentário

 

Voltar